domingo, 31 de outubro de 2010

Unção de Davi, eleição de Dilma e Corrida Maluca

O primeiro livro de Samuel descreve a unção de Davi. Essa história nos mostra a forma como foi eleito o rei de Israel, lá por volta do ano mil antes de Cristo.

Segundo o livro, o profeta Samuel recebeu instruções do próprio Deus para que fosse até a casa de Jessé, pois entre os filhos deste homem seria eleito o novo rei.

Em obediência, o profeta Samuel foi até a casa de Jessé.

Jessé, então, mandou chamar seus sete filhos. Quando Samuel olhou o filho mais velho, um homem forte, formoso e alto, logo pensou: “É este”.

Mas Deus falou ao profeta: “Não se impressione com a aparência nem com a altura deste homem. Eu o rejeitei porque não julgo como as pessoas julgam. Elas olham para a aparência, mas eu vejo o coração”.

E assim, Jessé apresentou a Samuel seus sete filhos, mas Deus não escolheu nenhum deles.

Acredito que neste momento, Samuel deve  ter olhado para o céu e perguntado: “E agora? O que faço?”

Porém, havia mais um filho de Jessé, um jovem pastor de ovelhas que estava no campo pastoreando. Era Davi.

Jessé mandou chamá-lo.

Davi, provavelmente com menos de treze anos, era o eleito de Deus. Não por sua aparência, nem por sua força ou pela eloquência do seu discurso, mas porque era um homem segundo o coração de Deus.

Hoje (31 de outubro de 2010), foi eleita a primeira mulher presidente do Brasil. A eleição de Dilma Rousseff pôs fim a uma das eleições mais disputadas que nosso país já teve.

Mas não foi uma eleição limpa. Infelizmente os derrotados, apelaram para a criação de uma central de boatos via internet e telefone, gastaram dinheiro de campanha com intenção de difamar sua oponente.

Conheço algumas pessoas que receberam o telefonema terrorista. Nesta ligação, a então candidata Dilma era atacada. Chamada de terrorista, pro-aborto e outras coisas mais.

Ou seja, praticaram terrorismo eleitoral, acreditando que iriam mudar o voto dos eleitores.

Porém, foi um tiro no pé!

Tenho um amigo, eleitor do Serra no primeiro turno, que recebeu a tal ligação telefônica. Ficou tão furioso que hoje cedo da manhã foi até sua seção eleitoral onde votou na Dilma.

Mas por que ele mudou de voto?

Acredito que por não ter tido muita convicção do que estava fazendo no primeiro turno. Mas com certeza não foi somente por isso.

Na minha infância, eu assistia muitos desenhos animados. Gostava muito, em especial, da Corrida Maluca. Mesmo sendo criança, eu entendia que Dick Vigarista não tentava vencer por seus próprios méritos, mas por tentar trapacear/denegrir seus oponentes.

Assim foi, infelizmente, a campanha tucana, não se tentou vencer por seus méritos, mas tentando denegrir a imagem da oponente.

Deu no que deu.

Daqui a dois anos, teremos eleições para prefeito e vereador. Espero que nesta eleição possamos eleger nossos candidatos por seu coração (por seus méritos, por seu caráter) e não por sua aparência ou discurso.

Marcos Faber
http://www.historialivre.com/
marfaber@hotmail.com

Um comentário: